• Luciano Klein

Faturamento hospitalar: como otimizar os processos e reduzir as glosas

Atualizado: 6 de Abr de 2018



Todo serviço prestado deve ser remunerado assim que finalizado. A frase pode até parecer óbvia para os prestadores de serviços e as grandes empresas, mas na área da saúde, por algumas questões específicas, o recebimento pode ser demorado.

Por conta de suas particularidades, o faturamento hospitalar é um grande desafio para boa parte das instituições.


Fluxo de Faturamento de Contas

A maioria das operadoras de saúde, possuem dias específicos para que cada instituição encaminhe suas contas hospitalares, caso não seja possível encaminhar no dia acordado, só será possível o envio na próxima data de fechamento, que geralmente irá ocorrer após 30 dias.

Outro ponto importante, é que muitas vezes, as instituições não recebem de forma integral pelo serviço que foi prestado.

Cada instituição possui um contrato específico, onde o número de vidas e a negociação acabam influenciando no contrato final de prestação de serviços.

Formas de Pagamento

A prática atualmente mais utilizada, que considero um tanto quanto aproveitadora, que quanto mais grave for o quadro do paciente, mais recursos ele utilizar, é o que definirá o quando o hospital e o médico irão faturar. O famoso e temido (Fe-for-Service) pagamento por serviço.

Na verdade, é uma prática polêmica porque sempre deixa as operadoras de saúde com a pulga atrás da orelha, levantando uma série de questionamentos como:

  • O paciente realmente necessita desse exame?

  • O paciente realmente realizou determinado procedimento?

  • Para determinado procedimento é realmente necessário a utilização de tantos materiais?

Outra forma de pagamento comum utilizada é o (Bundled Payments) pagamento por pacotes. Conhecido como conta fechada, onde todos os procedimento e exames necessários para determinado procedimento estão incluídos. Acompanhe abaixo um exemplo:

Pacote de inclusão ou retirada de prótese de mama, onde os itens incluídos no pacote seriam: 2 horas de sala cirúrgica, gasometria, porte anestésico, materiais diversos, medicamentos básicos, diária hospitalar, honorário médico e anestesista).

O desafio desta forma de pagamento é que a idade e condição física da paciente, podem interferir na utilização de determinados materiais e procedimentos. Nessa realidade, muitas vezes o hospital pode sair ganhando, mas também pode sofrer um grande prejuízo. Esse risco nem todas as instituições estão dispostas a enfrentar.

Por todas essas particularidades o faturamento de contas hospitalares é tão oneroso e burocrático. Simplificando, o envio das contas médicas/hospitalares nem sempre será garantia de recebimento de pagamento.

Planejamento, Análise, Organização e Controle de Processos

Por essas inúmeras razões, os processos de auditoria de contas e faturamento necessitam de 4 passos importantes. Acompanhe:

  • Planejamento – definição de prazos para auditoria de contas, conforme negociação junto as operadoras.

  • Análise – auditar as contas hospitalares para garantir que os itens cobrados foram realizados.

  • Organização – emissão das guias finais de faturamento e preparação do lote a ser faturado.

  • Controle – Identificar e eliminar as pendencias de faturamento de modo que não perca o prazo de envio.

Para seguir os 4 passos do processo de faturamento, não basta somente ter os processos informatizados e integrados, sendo necessário possuir uma ferramenta digital dinâmica e parametrizada de acordo com as necessidades de cada instituição.


Como reduzir as glosas e tornar o processo mais eficiente

Atualmente o mercado disponibiliza excelentes ferramentas que permitem controlar os processos em tempo real.

A utilização desse tipo de ferramenta irá facilitar o acompanhamento dos processos e permitirá analisar indicadores como:

  • Contas Analisadas X Contas faturadas

  • Contas Pendentes X Motivos de contas pendentes

  • Faturamento total X Faturamento Convênio

  • Contas Faturadas X Contas Glosadas X Motivos contas glosadas.

Conclusão

Garantir a execução dos 4 passos, além de contribuir para maior eficiência, irá reduzir a possiblidade das glosas médicas por cobrança indevida e também as de prazo de envio de conta.

No longo prazo a utilização desse tipo de ferramenta irá contribuir para a melhoria continua da dos processos que envolvem a área assim como importante redução de perdas financeiras.


Se você procura um parceiro de tecnologia para ganhar eficiência da gestão de sua instituição, clique aqui! Vamos conversar.

1,155 visualizações
ENDEREÇO

Rua Irmão Emílio Conrado 

Número 110, Sala 304,  

Bairro Florestal, Lajeado/RS

CEP: 95900-704

TELEFONES

(51) 3748-6565

(11) 3090-0710

(51) 9 8156-9025

HELP DESK

Trabalhamos com:

© 2018 Solis LTDA. Gnuteca, Solis GE e Cômpeto são marcas registradas da Solis Ltda.

Site desenvolvido por Constante Digital.